quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Ó comovente torcedor


Comovente aquele que chega alvoroçado pelo simples prazer de ali estar.
E com arte não permite que dissequem suas ilusões, pois vê ali seu império.
Já nem lembra que veio do seu bolso o estar.
Esquece mais que isso, esquece tudo e todos.
Deseja um único desejar.
Por noventa minutos,
Ás vezes dão alguns acréscimos,
Um apito liberta ou aprisiona.

Adversários viscerais contemplam tua dor sem piedade
E colocam em cheque todas as tuas glorias
Vendem teus vitoriosos guerreiros.
Tuas juras de ali não voltar, não cumpres jamais.
Exposto a intempéries te manténs em pé.
Ó comovente torcedor
Encantador da minha alma
Com tua arte sem melodia, pincéis, imagens ou letras!

Um comentário: